Saltar navegação

Glossário para encoders ópticos

Encontre das definições da terminologia técnica popular sobre encoders.

ERRO DE ABBE

Erro de Abbe é um mecanismo de erro em que os erros angulares em um eixo rotativo são ampliados pela distância do eixo

ABSOLUTO

Uma posição absoluta é aquela completa em si mesma e é definida independentemente de qualquer outra posição ou valor. Existem três tipos principais de encoders absolutos: absoluto verdadeiro, pseudoabsoluto e absoluto equipado com bateria.

Absoluto verdadeiro

Sua posição é determinada imediatamente ao ligar

Sem suporte de bateria

Um movimento é desnecessário

Pseudoabsoluto

Também conhecido como "codificado por distância".

O encoder precisa se mover uma curta distância para que seja determinada a sua posição absoluta

A escala do encoder possui marcas de referência a distâncias únicas; quando o cabeçote de leitura se move ao longo de duas marcas de referência adjacentes, o comando pode calcular a posição absoluta do espaçamento único entre estas marcas

Absoluto com suporte de bateria

Basicamente um encoder incremental com recurso de marca de referência, este tipo de encoder absoluto utiliza uma bateria para manter o encoder constantemente alimentado e em posição de leitura para que a posição absoluta nunca se perca, mesmo quando o sistema anfitrião é desligado.

EXATIDÃO

É a proximidade da posição medida em relação ao valor real.

Não deve ser confundida com Resolução ou repetibilidade.

Nota: O termo precisão muitas vezes é utilizado para descrever a exatidão em conversas não técnicas. No entanto, na metrologia, precisão na realidade significa repetibilidade.

ACI

Interface digital para o ATOM, que oferece fatores de interpolação até 2000.

AGC

Controle de Ganho Automático Uma função de processamento de sinal que assegura uma amplitude de sinal consistente de 1 Vpp

SINAL DE ALARME

Em um encoder incremental, esta é a saída emitida quando ocorrem certas condições indesejáveis. Os diferentes sinais de alarme disponíveis para cada cabeçote de leitura estão listados nos respectivos dados técnicos.

As condições de alarme podem ser:

  • Sinal baixo (todos os cabeçotes de leitura possuem erro de sinal baixo)
  • Sinal alto
  • Velocidade excessiva
  • Deslocamento excessivo da curva Lissajous

O alarme pode ser acionado em linha (uma só extremidade ou diferencial) ou de 3 estados (comumente conhecido como tri-state).

O RESOLUTE emite um alarme quando não pode determinar corretamente a posição absoluta.

ANALÓGICO

Uma quantidade física variável continuamente.

Quando associado a encoders, o termo Analógico normalmente se refere a sinais de 1Vpp ou 11µA que são interpolados pelo servo acionamento ou pelo comando.

Nota: A ortografia norte-americana desta palavra é Analog. Ela muitas vezes é a ortografia preferida na indústria de computadores.

MEDIÇÃO ANGULAR

É a medição de um ângulo.

Ela pode ser realizada utilizando uma escala de encoder completa, como um anel ou disco. Medições de arco parcial podem ser executadas envolvendo uma parte da escala de fita linear ao redor de um tambor ou eixo.

RESOLUÇÃO ANGULAR

Resolução de um encoder quando convertida em unidades angulares.

Por exemplo, uma resolução linear de 1 nm em um anel de 200 mm é equivalente a 0,0020625 arco segundos.

Unidades de resolução angular normalmente utilizadas incluem:

  • graus
  • arco segundos
  • arco minutos
  • micro radianos
  • grads (1 gradian = 1/400 de uma volta completa = 9/10 de um grau)
  • mils (1 mil=1/6400 de uma volta completa)

ENCODER ANGULAR

Um encoder para medição de ângulos. Também chamado de "Encoder angular".

O termo encoder rotativo é utilizado para descrever todos os encoders que medem ângulos. Encoders angulares são definidos como tendo uma exatidão melhor que +/- 5 arco segundos e uma contagem de linhas acima de 10000. Encoders rotativos possuem especificações que se situam fora desta categoria.

AOC

Controle de Offset Automático Uma função de processamento de sinal que ajusta de modo independente o deslocamento (offset) dos sinais de saída de seno e cosseno.

ARCO SEGUNDO

1 arco-segundo corresponde a 1/3600 de um grau.

Portanto:

1 grau = 60 arco minutos = 3600 arco segundos.

ENCODER INCREMENTAL ABERTO ATOM™

Uma série de encoders ópticos incrementais miniatura da Renishaw que proporcionam excelente imunidade contra impurezas, estabilidade de sinal e confiabilidade. O ATOM é o primeiro encoder miniatura no mundo a utilizar a óptica de filtração com Auto Gain Control (AGC) e Auto Offset Control (AOC), também encontrada na série de encoders compactos TONiC™, proporcionando excelente desempenho de metrologia e a mais elevada exatidão.

O cabeçote de leitura ATOM oferece velocidades até 20 m/s e resoluções até 1 nm. As opções de escala incluem uma série de escalas lineares de aço inoxidável e discos de vidro rotativos RCDM com diâmetros variando de 17 mm a 108 mm, todas com opção de graduação de escala de 40 µm ou 20 µm.

ENCODER INCREMENTAL ABERTO ATOM DX™

A série de encoders ATOM DX é o menor encoder óptico incremental da Renishaw, com saída digital direta do cabeçote de leitura. Ele proporciona feedback posicional, interpolação a bordo e ótica de filtragem, tudo em um pacote miniatura.

Compatível com a Ferramenta de Diagnóstico Avançado ADTi-100 e software ADT View opcionais, fornece informações avançadas de diagnóstico e auxilia na otimização da instalação do encoder e detecção de falhas no campo, atendendo as aplicações de controle de movimento mais exigentes.

O encoder ATOM DX também proporciona resoluções de até 2,5 nm e uma grande variedade de configurações.

O ATOM DX é fornecido nas variantes de saída com cabo e superiores com opções de escala de 20 µm ou 40 µm.

DIMENSÕES DA CAIXA (BOX SIZE)

As dimensões da caixa ajudam a definir o espaçamento entre as marcas de referência codificadas por distância.

As marcas de referência codificadas por distância estão disponíveis em uma variedade de formatos, mas o mais comum é conhecido como o método da caixa. Este coloca as marcas de referência periódicas a distâncias fixas (estas formam a caixa), com uma terceira marca de referência em uma distância única entre elas.

CALIBRAÇÃO

1) Para determinar, verificar ou corrigir a exatidão de um sistema de medição.

Em termos de encoder, isto significa comparar a posição relatada pelo encoder com um laser, medidor ou outro equipamento conhecido.

2) Definir o nível de sinal incremental e o sincronismo da marca de referência em um encoder TONiC ou ATOM.

FREQUÊNCIA DO RELÓGIO

Esta usualmente se refere à frequência do relógio na entrada da eletrônica de recepção (normalmente o acionamento ou comando).

Em cada ciclo do relógio, a eletrônica de entrada procura por uma alteração de estado nos receptores de linha. Se ocorre uma alteração de estado, a contagem é aumentada ou diminuída de forma correspondente.

Se a saída do encoder é mais rápida que o relógio na eletrônica de entrada, 2 estados podem se alterar em 1 ciclo, o que confunde o decodificador de quadratura.

Note que às vezes filtros digitais são aplicados à entrada. Estes removem pequenas falhas de ruído, mas também reduzem a frequência efetiva do relógio da eletrônica de entrada.

SAÍDA CRONOMETRADA

Todos os encoders TONiC e ATOM e versões de alta resolução dos RG2/RG4 possuem saídas digitais cronometradas. Isto significa que, se necessário, o interpolador verifica a saída da curva de Lissajous e alterações de estado da saída digital a cada ciclo.

Está disponível uma variedade de frequências de relógio e nossos dados técnicos incluem recomendações para frequências do relógio da eletrônica de entrada, inclusive espaço para cabos e receptores de linha, etc. Por exemplo, uma interface TONiC de 20 MHz realmente possui um relógio interno de aprox. 16 MHz.

Note que isto é diferente de Retiming.

VELOCIDADE DO COMUNICAÇÂO

É o mesmo que Frequência do Relógio.

CABEÇOTE DE LEITURA COMPONENTE

Um cabeçote de leitura componente é um produto projetado para ser incorporado a um produto OEM. Eles muitas vezes possuem invólucros e circuitos de interface muito reduzidos em comparação com um cabeçote de leitura convencional selado. Os cabeçotes de leitura componente normalmente requerem mais engenharia de aplicação por parte do cliente, como blindagem adicional e a interpolação muitas vezes são realizadas externamente.

O RGH34 e o RoLin são exemplos de cabeçotes de leitura componente.

COMANDO

É o "cérebro da máquina" que comanda os movimentos e as operações.

Está disponível uma grande variedade de comandos. Muitos são propósitos, mas alguns são dedicados a tarefas específicas:

Comandos CNC (Computador Controlado Numericamente) são otimizados para aplicações em máquinas-ferramenta, por exemplo. Muitos comandos incluem algoritmos complexos, que aumentam o desempenho da máquina.

Sistemas modulares, tais como o UMAC da Delta Tau podem ser expandidos com cartões acessórios para atender exatamente os requisitos do cliente.

"Comando" muitas vezes é utilizado como um termo genérico, às vezes incorretamente utilizado para descrever um servo amplificador (drive).

CTE

Coeficiente de Dilatação Térmica

O CTE descreve quanto um material dilata em uma direção linear quando a temperatura aumenta. Normalmente este coeficiente é expresso em µm/m/°C ou ppm/°K.

Note que este é realmente um tópico complexo. Por exemplo, materiais possuem coeficientes diferentes em temperaturas diferentes, assim o valor citado normalmente é especificado para um intervalo de temperatura limitado, ao redor de 20 °C.

ERRO CÍCLICO

O Erro Cíclico é outro termo para Erro Subdivisional.

REFERÊNCIA (DATUM)

O termo referência pode se referir a várias coisas diferentes:

  • Uma marca de referência
  • A posição em que a escala com CTE independente (RTLC, por exemplo) está bloqueada no substrato.
  • Uma posição zero definida na escala ou na máquina
  • Uma calibração padrão

DIGITAL

Sinais ou informações que podem ter somente 2 estados discretos: alto e baixo.

Em um encoder, "digital" normalmente se refere a saídas de um encoder digital. Estes sinais são dispostos em quadratura, como descrito em todos os dados técnicos de encoders da Renishaw.

Algumas pessoas acreditam que os sinais digitais são mais imunes a ruídos do que sinais analógicos, porque qualquer perturbação no nível do sinal é removida quando o sinal é recebido. Outras pessoas argumentam que os sinais analógicos são de frequência mais baixa, assim é possível aplicar uma filtração melhor.

Note que uma desvantagem dos encoders digitais é que neles sempre haverá um certo compromisso entre velocidade e resolução.

IMUNIDADE CONTRA IMPUREZAS

A capacidade de um encoder pode continuar a ler a posição sobre as impurezas e a contaminação.

A imunidade contras impurezas provém de duas fontes: o esquema óptico e a eletrônica do Controle de Ganho Automático.

Os encoders incrementais da Renishaw utilizam uma óptica de filtração que está ajustada para ver apenas 1 período, que é o período da escala. As impurezas e a contaminação sempre terão um período diferente disto, por isto ele é rejeitado pelo encoder. Fundamentalmente, os sinais da curva de Lissajous não são deslocados pela contaminação.

O Controle de Ganho Automático aumenta ou reduz o sinal eletronicamente, de modo a assegurar uma curva Lissajous o mais consistente possível.

CODIFICADO POR DISTÂNCIA

Marcas de referência codificadas por distância são colocadas ao longo da escala do encoder a distâncias únicas; quando o cabeçote de leitura se move ao longo de duas marcas de referência adjacentes, o comando pode calcular a posição absoluta do espaçamento único entre estas marcas.

INTEGRAÇÃO ELÉTRICA

A integração elétrica descreve a conexão entre o encoder e a eletrônica de recepção. Isto inclui fonte de alimentação, aterramento / blindagem e sinais

É essencial verificar se as saídas do encoder serão compatíveis com as entradas da eletrônica de recepção.

O aterramento / blindagem incorretos são a causa mais comum dos problemas com encoders. Curtos ou ruído excessivo entre 0V e a terra muitas vezes causam problemas de ruído, contagem incorreta ou marcas de referência mascaradas.

É importante assegurar que a fonte de alimentação possua capacidade de corrente suficiente para alimentar o encoder. Não esqueça a queda de tensão ao longos dos cabos!

IMUNIDADE CONTRA RUÍDO ELÉTRICO

Capacidade de um produto continuar a funcionar em ambientes elétricos com ruído.

Os encoders podem estar sujeitos a uma variedade de ruídos elétricos:

  • Interferência eletromagnética pode ser induzida ou acoplada ao cabo ou cabeçote de leitura
  • Ruído muitas vezes está presente na fonte de alimentação de 5V
  • O ruído também pode estar presente no terra da máquina.

O projeto eletrônico cuidadoso do encoder ajuda a superar os efeitos indesejáveis destas fontes de ruído.

AMBIENTE EMI

EMI = Interferência Eletromagnética

Esta é a interferência (ruído) que está presente na região ao redor do encoder.

O ruído EMI muitas vezes é gerado por:

  • Correntes de comutação rápida em cabos de motor
  • Conexões defeituosas que soltam faíscas
  • Interruptores ou contatores com blindagem defeituosa
  • Ligações à terra ou fontes de alimentação defeituosas
  • Soldagem, eletroerosão ou outras operações interferentes na proximidade da máquina

ENCODER ÓPTICO BLINDADO

Um encoder óptico blindado Renishaw abriga a eletrônica e a óptica dentro de uma unidade selada que está fixada a um corpo de cabeçote de leitura. Tanto a unidade óptica selada quanto a escala do encoder estão ainda mais protegidas dentro de um invólucro selado. Este projeto proporciona alta resistência à penetração de líquidos e impurezas sólidas.

ENCODER

Em geral, um encoder é um dispositivo ou processo que converte dados de um formato para outro.

No sensoriamento de posição, um encoder é um dispositivo que mede a posição e passa esta informação em um formato apropriado para um acionamento ou comando.

ENCODER ABSOLUTO ABERTO EVOLUTE™

A série EVOLUTE é um encoder óptico sem contato absoluto verdadeiro com período de escala de 50 µm, proporcionando excelentes tolerâncias de instalação e maior imunidade contra impurezas, em aplicações que requerem não somente a mais alta integridade operacional, mas onde a instalação rápida é crítica. Resoluções até 50 nm juntamente com SDE e ruído reduzidos, projeto óptico avançado e processamento de sinal em alta velocidade proporcionam ao encoder EVOLUTE o desempenho esperado para atender os mais severos requisitos de OEM.

FASTRACK™

O FASTRACK é um sistema patenteado de trilha com suporte para as escalas RTLC ou RTLA.

Ao contrário da maioria dos sistemas de trilha, o FASTRACK é fabricado com aço inoxidável, sendo portanto mais resistente contra danos acidentais que os extrudados de alumínio. O FASTRACK é rápido e fácil de instalar.

Os sistemas de trilha oferecem vários benefícios:

  • Eles permitem que a escala seja facilmente substituída no campo
  • Eles permitem que a escala dilate / contraia de acordo com o seu próprio coeficiente de dilatação, independentemente da trilha ou do substrato
  • Eles permitem que escalas longas sejam removidas temporariamente de máquinas grandes, quando estas precisam ser seccionadas para o transporte

FILTRAÇÃO

A filtração é a rejeição de sinais, vibrações ou radiação de determinadas frequências, permitindo que outras frequências sejam detectadas.

Nos encoders de posição, muitas vezes a filtração é utilizada para os seguintes propósitos:

  • A óptica de filtração rejeita as frequências diferentes do período da escala
  • A filtração de sinais elétricos ajuda a remover o ruído e reduzir a instabilidade
  • A filtração da fonte de alimentação ajuda a remover componentes de ruído, permitindo que o sistema trabalhe de forma mais consistente e confiável

CONEXÃO LIVRE

Um cabo fornecido sem terminais, com fios desencapados na extremidade. Isto permite que os clientes montem o seu conector preferido.

ENCODER ÓPTICO BLINDADO FORTiS™

Os encoders ópticos blindados FORTiS são projetados para serem excepcionalmente robustos para uso em ambientes industriais agressivos, onde são necessários feedback e metrologia de alta precisão. Um cabeçote de leitura optoeletrônico selado converte o movimento relativo a uma escala de aço inoxidável finamente graduada em dados de posição. Eles possuem:

  • Tecnologia de medição absoluta – precisa, confiável e comprovada
  • Projeto sem contato – histerese reduzida e ausência de desgaste mecânico
  • Vedação superior – maior resistência à contaminação por fluidos e impurezas sólidas
  • Resistência excepcional à vibração – desempenho elevado e via longa
  • LED de preparação patenteado – para instalação rápida e intuitiva já na primeira vez
  • Compatível com a Ferramenta de Diagnóstico Avançado ADTa-100 para preparação aprimorada e detecção de falhas.

FPC

Circuito Impresso Flexível

Trata-se de um cabo chato e flexível, utilizado com conectores de força de inserção zero. Os cabos FPC possuem forças de flexão muito reduzidas e sua vida muitas vezes é bem menor do que os cabos padrão, assim os cabos FPC geralmente não são recomendados para aplicações dinâmicas. Os cabos FPC também podem ser fornecidos com blindagem.

FPD

Detector de Painel Plano

LIGAÇÃO À TERRA

Os arranjos que conectam a máquina à terra. Também conhecido como Aterramento.

É importante observar que o aterramento é uma parte essencial da integração elétrica do encoder: aterramento de má qualidade, com curtos ou ruído entre 0V e terra, são uma das causas mais comuns dos problemas com o encoder.

HISTERESE

A histerese é o retardo de tempo de uma resposta após uma alteração nas entradas que causam a resposta.

Os exemplos de histerese nos encoders incluem:

  • Quando uma escala de encoder é montada em um substrato e este se encontra em um circuito térmico, a dilatação térmica diferencial da escala e a fricção no sistema de suporte fará com que as extremidades da escala descansem em posições ligeiramente diferentes.
  • A histerese elétrica dentro de um cabeçote de leitura significa que uma posição indicada ocorrerá em um local ligeiramente diferente no sentido para frente e para trás.
  • Os encoders blindados apresentam uma ligeira demora ao inverter o sentido. Isto é conhecido como erro de inversão.

INCREMENTAL

Uma posição absoluta é aquela completa em si mesma e é definida independentemente de qualquer outra posição ou valor. Existem três tipos principais de encoders absolutos: absoluto verdadeiro, pseudoabsoluto e absoluto equipado com bateria.

O encoder incremental é aquele que transmite sinais de saída que indicam somente o movimento relativo - a posição absoluta do eixo somente pode ser determinada pelo acionamento ou pelo comando, que combina esta posição relativa com uma posição de referência conhecida, tal como um sinal de uma marca de referência.

Os encoders incrementais não podem relatar uma posição absoluta na energização - uma marca de referência deve ser lida antes que a posição absoluta possa ser calculada. Sinais de posição incremental podem contar em ambos os sentidos, aumentando ou diminuindo as informações sobre a posição relativa de modo correspondente.

PADRÃO INDUSTRIAL

O Padrão Industrial se refere a determinadas especificações que são comuns em toda a indústria.

Por exemplo, sinais analógicos acionados por tensão devem ser de 1Vpp, que é o padrão industrial estabelecido. Os sinais digitais devem estar em conformidade com RS422.

Note que padrões industriais se referem a especificações, mas não definem a qualidade. É possível encontrar dois encoders que atendem os padrões industriais quanto ao tamanho do sinal, mas um supera significativamente o outro.

INTERFACE

Um dispositivo eletrônico que processa sinais ou executa alguma outra operação.

Protocolos de comunicação serial, tais como BiSS® ou Siemens DRIVE-CLiQ®, são muitas vezes descritos como uma interface, isto é, uma comunicação entre duas partes.

INTERPOLADOR

Um dispositivo que converte sinais analógicos em sinais digitais.

Para os encoders de posição, os interpoladores são muitas vezes utilizados para converter saídas analógicas de seno e cosseno de um encoder incremental em uma representação digital dos mesmos sinais.

Está disponível comercialmente uma grande variedade de interpoladores, oferecendo diversas qualidades e velocidades de interpolação.

IN-TRAC™

IN-TRAC é o nome dado à marca de referência óptica nas escalas Renishaw, que é diretamente incorporada nas graduações incrementais (marcações na escala).

As marcas de referência IN-TRAC são muito mais imunes à defasagem de rotação ao redor do eixo do que as marcas de referência colocadas ao longo das graduações incrementais.

INVAR®

INVAR é uma liga de níquel-ferro que possui um coeficiente de dilatação muito baixo, de aprox. 1,2 ppm/°C.

A Renishaw fornece escala de encoder feita de uma liga chamada ZeroMet™, que é uma forma de INVAR, selecionada especialmente por sua estabilidade particularmente elevada.

GRAU DE PROTEÇÃO IP

Proteção de Ingresso, também conhecida como Classificação de Proteção Internacional. Isto define a proteção de um invólucro elétrico.

A classificação IP possui dois dígitos: o primeiro dígito se refere ao ingresso de pó e o segundo ao ingresso de água. Por exemplo, IP64 descreve uma classificação 6 para proteção contra pó e uma classificação 4 para proteção contra água.

Os graus de proteção IP são definidos na norma internacional IEC 60529.

A NEMA publica classificações de proteção que são similares à norma IEC, mas o sistema de numeração é diferente e as normas NEMA também incluem resistência à corrosão e envelhecimento de juntas.

RUÍDO POSICIONAL (JITTER)

O montante da saída de ruído posicional de um encoder quando o mesmo não está se movendo.

Este valor é normalmente indicado em RMS, mas há muitos modos de medir o ruído posicional; a largura de banda de medição é particularmente importante.

Encoders com ruído posicional reduzido podem manter melhor a posição e gerar menos calor em motores lineares. Eles também exibem um controle de velocidade mais suave em velocidades baixas.

LED

Diodo Emissor de Luz

INDICADORES LED

LEDs coloridos que indicam nível de sinal, faseamento da marca de referência, status de CAL/AGC e uma variedade de outros status de encoder ou sinais de diagnóstico.

LIMITES

Saídas de um encoder que indicam que o cabeçote de leitura atingiu o fim de curso.

Limites individuais possuem um sinal que mostra que o cabeçote de leitura atingiu uma extremidade do eixo. O acionamento não pode distinguir qual fim de curso foi atingido.

Limites duplos emitem sinais diferentes dependendo de qual fim de curso foi atingido; nos encoders Renishaw, estes são conhecidos como o fim de curso "P" ou "Q".

LINEAR

Movimento ou forma em linha reta.

LISSAJOUS

Método de exibir sinais de seno e cosseno de modo que a saída descreva uma forma circular.

Quando as saídas do encoder são exibidas neste modo é possível determinar facilmente muitas características da operação do encoder, como o nível e a qualidade do sinal.

MICRÔMETRO

Unidade de comprimento.

1 micrômetro = 0,001 milímetros = 1000 nanômetros

O símbolo para micrômetro é µm

MHz

Mega Hertz, uma unidade de frequência.

1 MHz = 1 milhão de ciclos por segundo

NANÔMETRO

Unidade de comprimento.

1 nanômetro = 0,001 micrômetros = 1000 picômetros

Um nanômetro corresponde aprox. ao comprimento de 10 átomos de carbono.

PONTO NODAL

A grade de índice de um cabeçote de leitura de encoder atua de modo similar a uma lente de objetiva e o ponto nodal é a posição em que as franjas de interferência detectadas no cabeçote são formadas - se a escala (ou cabeçote de leitura) gira ao redor deste ponto, as franjas no fotodetector não se movem.

Muitas escalas de encoder são instaladas com dobras ou superfícies ligeiramente irregulares, que podem causar erros de medição. Os encoders da Renishaw como o ATOM possuem um ponto nodal na superfície da escala e, por conseguinte, a escala pode ser inclinada e mesmo assim nenhum erro de ondulação é introduzido.

Em muitos outros tipos de cabeçotes de leitura a escala funciona como uma grade de índice e o ponto nodal está acima da superfície da escala. Neste caso, qualquer ondulação da escala fará as franjas se moverem transversalmente ao fotodetector, levando a uma leitura incorreta da posição.

RUÍDO

Uma perturbação elétrica indesejada em um circuito, que degrada as informações úteis de um sinal.

NOMENCLATURA

A estrutura de um sistema de numeração. Literalmente, a estrutura de um nome.

SEM CONTATO

Um tipo de encoder em que não há contato entre o cabeçote de leitura e a escala. Também conhecido como exposto em algumas empresas.

Encoders ÓPTICOS ABERTOS

Um encoder óptico é um dispositivo eletromecânico que produz uma saída de sinal elétrico proporcional ao deslocamento linear de um eixo linear ou posição angular de um eixo de entrada.

SAÍDA

Sinais que são emitidos pelo cabeçote de leitura do encoder durante a operação.

ARCO PARCIAL

A gama de escalas de encoder RKL da Renishaw suporta aplicações de arco parcial. A flexibilidade da pequena área de seção transversal dessas escalas permite que sejam enroladas em torno de um tambor, eixo ou arco com um raio mínimo de 26 mm.

Esse novo recurso está disponível nas variantes incremental e absoluta das escalas RKL.

PCB

Placa de Circuito Impresso

GRADUAÇÃO (PITCH)

A distância entre as marcas adjacentes em uma escala de encoder. Uma escala de 20 micrômetros geralmente possui uma linha escura com largura de 10 micrômetro e uma linha clara com largura de 10 micrômetros.

Às vezes também é chamada de período da escala.

PRECISÃO

Ver repetibilidade.

ENCODER INCREMENTAL ABERTO QUANTiC™

O sistema de encoders QUANTiC integra o projeto óptico de filtração e a tecnologia de interpolação da Renishaw para criar encoders ópticos, abertos, incrementais, robustos e supercompactos. Os encoders QUANTiC são fáceis de usar, com tolerâncias de instalação e operação excepcionalmente grandes e funções de calibração integradas.

Os cabeçotes de leitura QUANTiC oferecem saída digital e uma nova variante de saída analógica com uma ampla variedade de configurações e opções de escala linear ou rotativa. Podem ser atingidas velocidades de até 24 m/s para atender os mais severos requisitos de controle de movimentos.

Informações detalhadas de diagnóstico podem ser obtidas utilizando a Advanced Diagnostic Tool ADTi100 e o software ADT View durante a instalação ou para diagnóstico de campo e detecção de falhas.

CABEÇOTE DE LEITURA

O cabeçote de leitura lê e interpreta a informação posicional da escala utilizando tecnologias ópticas, magnéticas, indutivas ou capacitivas e emite dados posicionais utilizando sinais elétricos.

REE

Uma caixa de interpolador da Renishaw que recebe sinais analógicos de 1 Vpp do encoder como entrada e emite saídas de quadratura digital.

MARCA DE REFERÊNCIA

Uma posição de referência ao longo de um eixo.

A expressão marca de referência pode ser utilizada para descrever:

  • O atuador como marca de referência física, tal como o magneto de marca de referência ou o recurso óptico IN-TRAC™.
  • O sinal de saída da marca de referência a partir do cabeçote de leitura / interface.

REL

Uma família de escalas de baixa dilatação e elevada exatidão da Renishaw.

Estas escalas são feitas de ZeroMet, uma liga de níquel-ferro de dilatação reduzida que é uma forma altamente estável de Invar.

As opções incluem:

  • RELM: escala com uma marca de referência no centro
  • RELE: escala com uma marca de referência em uma extremidade
  • RELA: escala com código absoluto

CONFIABILIDADE

A capacidade de um encoder funcionar corretamente ao longo do tempo e do uso.

As medidas de confiabilidade incluem:

  • MTTF: Tempo Médio Entre Falhas
  • MTTFd: Tempo Médio Até Uma Falha Perigosa
  • MTBF: Tempo Médio Antes da Falha

A confiabilidade também pode ser utilizada para se referir à capacidade de um encoder de tolerar contaminação e outras condições não ideais durante a sua vida útil.

REPETIBILIDADE

A capacidade de um encoder de relatar a mesma posição cada vez que atinge um certo ponto ao longo do eixo.

Às vezes também conhecida como reprodutibilidade, dispersão ou precisão.

REPRODUTIBILIDADE

Ver repetibilidade.

ENCODER ABSOLUTO ABERTO RESOLUTE™

Um encoder óptico absoluto verdadeiro aberto de trilha única da Renishaw.

RESOLUÇÃO

O menor passo de medição emitido por um encoder: esta é a distância mínima que um encoder deve se mover para alterar a sua saída em um número.

A resolução às vezes é confundida com exatidão e repetibilidade. Ela pode ser menor que o nível de ruído de um encoder.

RGH

A nomenclatura da Renishaw para cabeçotes de leitura nas séries RG2 e RG4.

RGSZ

Escala Gold Renishaw. A Renishaw disponibiliza uma escala de fita de aço revestida de ouro com marcas de referência IN-TRAC™ selecionáveis pelo usuário. A RGSZ é fornecida em um carretel e pode ser cortada para qualquer comprimento de eixo até 50 m. Ela é montada com fita adesiva no verso e termicamente ajustada ao substrato de suporte, simplificando a compensação térmica.

ALTURA DE PERCURSO (RIDEHEIGHT)

É a distância entre a escala do encoder e o lado inferior do cabeçote de leitura.

A tolerância da altura de percurso é a variação desta distância que o cabeçote de leitura é capaz de tolerar.

ANEL

Um tipo de escala rotativa em forma de anel, geralmente com a escala do encoder marcada na superfície externa do anel. As escalas anulares da Renishaw incluem a RESR, RESM, RESA, REXM e REXA. Escalas anulares magnéticas também estão disponíveis.

ONDULAÇÃO (RIPPLE)

A ondulação da tensão da fonte de alimentação é o nível de ruído em uma fonte de alimentação de 5 V.

A ondulação da velocidade é uma medida da variação em velocidade de um eixo, quando este é acionado para se mover com velocidade constante.

RKL

Escala de fita de aço inoxidável estreita de perfil baixo Renishaw, incluindo o seguinte modelo:

  • RKLC-S: fita de aço, incremental, autoadesiva, marcas de referência IN-TRAC


ROLL

Rotação ao redor do eixo longitudinal

ROTATIVO

Atuação em um movimento circular

No mercado de encoders, os encoders rotativos medem o movimento de rotação.

Note que encoder rotativo é um termo genérico para todos os encoders que medem ângulos. No entanto, encoder rotativo também é utilizado para descrever encoders rotacionais de especificação mais baixa, e encoder angular é utilizado para descrever encoders rotacionais de especificação mais alta.

RSL

Uma família de escalas de aço inoxidável de elevada exatidão da Renishaw. A série inclui os seguintes modelos:

  • RSLM: Escala tipo barra de aço com uma marca de referência no centro
  • RSLE: Escala tipo barra de aço com uma marca de referência em uma extremidade
  • RSLC: Escala tipo barra de aço com marcas de referência selecionáveis pelo cliente
  • RSLR: Escala tipo barra de aço sem marcas de referência
  • RSLA: Escala tipo barra com código absoluto

O termo tipo barra (spar) descreve uma escala com seção transversal espessa.

RTL

Uma família de escalas de fita de aço inoxidável da Renishaw. A série inclui os seguintes modelos:

  • RTLC: Fita de aço, incremental, marcas de referência IN-TRAC
  • RTLC-S: Fita de aço, incremental, autoadesiva, marcas de referência IN-TRAC
  • RTLA: Fita de aço, código absoluto
  • RTLA-S: Fita de aço, código absoluto, autoadesiva

DISPERSÃO (SCATTER)

Ver repetibilidade.

SDE

SDE = Erro Subdivisional Erro de medição dentro de um período de sinal.

Esse mecanismo de erro é devido a imperfeições na forma ou centragem do sinal de saída da curva Lissajous do encoder.

O SDE pode causar problemas de ondulação de velocidade em eixos de motor linear ou de motor DDR. Um SDE grande pode causar um ruído audível do eixo e a geração de calor. Em aplicações de máquinas-ferramenta, um SDE grande pode causar acabamento insatisfatório da superfície e em máquinas de digitalização pode causar imagens tremidas.

O TONiC e o ATOM possuem eletrônica de processamento para a redução de SDE.

CLASSIFICAÇÃO DE VEDAÇÃO

Ver Grau de proteção IP.

LED DE PREPARAÇÃO

Diodo Emissor de Luz incorporado no cabeçote de leitura ( ou interface de encoder) que indica a qualidade atual do sinal e o status do encoder, como por exemplo o faseamento de uma marca de referência. A exibição instantânea da informação de diagnóstico elimina a necessidade de um equipamento de preparação adicional ou osciloscópios.

A maioria dos encoders Renishaw indica a qualidade do sinal através de um LED de preparação multicolorido, que emite luz vermelha / laranja / verde para indicar qualidade de sinal insatisfatória / moderada / boa. Alguns modelos de encoder também podem emitir luz azul para mostrar um sinal otimizado ou muito bom.

TRILHA ÚNICA

Trilha única se refere a uma escala de encoder absoluto com uma única fita de graduações, que proporciona a posição absoluta aproximada e a informação fina da fase incremental.

Os encoders absolutos tradicionais possuem duas trilhas paralelas de graduações: incrementais e absolutas. Como o cabeçote de leitura absoluto deve ler estas duas escalas simultaneamente, qualquer pequeno desalinhamento de rotação ao redor do eixo pode provocar a defasagem destas duas leituras, introduzindo um erro de medição.

O RESOLUTE é o primeiro encoder óptico absoluto aberto no mundo que lê uma escala de trilha única, tornando-o imune à defasagem de rotação.

SENOIDAL

Uma forma de onda é descrita como senoidal quando a sua magnitude varia de acordo com a função de seno.

BLINDAGEM

A blindagem se refere à defesa do encoder contra a interferência eletromagnética.

Uma importante aplicação da blindagem é nos cabos - os cabos Renishaw geralmente possuem blindagem dupla, com duas camadas de blindagem feitas de cobre estanhado trançado, com espirais envolvendo o núcleo do cabo em sentidos opostos. A tela externa atua como uma Gaiola de Faraday e está conectada à terra em ambas as extremidades. A tela interna atua como uma antena e está conectada ao 0V somente na eletrônica de recepção.

Com os cabos de blindagem dupla, é importante assegurar que não exista curto entre 0V e terra.

ESCALA TIPO BARRA (SPAR)

Um tipo de escala com seção transversal espessa.

As escalas RSLM e RELM da Renishaw são escalas tipo barra, por exemplo.

Ti

A interface digital padrão para a série de encoders TONiC.

DILATAÇÃO TÉRMICA

Ver CTE.

ENCODER INCREMENTAL ABERTO TONiC™

Uma série de encoders ópticos incrementais compactos da Renishaw proporciona capacidade de controle de movimento de elevado desempenho. O cabeçote de leitura incorpora o condicionamento de sinal dinâmico e o detector de marca de referência ótica está diretamente integrado ao sensor de sinal incremental. O TONiC proporciona excelente relação de sinal-ruído e excelente imunidade contra a contaminação.

UHV

Vácuo ultra-alto. O UHV geralmente é definido como correspondendo a pressões menores do que 10-9 Torr.

A Renishaw fornece certos cabeçotes de leitura que são otimizados para a utilização em ambientes de UHV. Estes cabeçotes são construídos com materiais limpos para minimizar a desgaseificação (a liberação de produtos químicos enquanto a câmara de vácuo está sendo evacuada).

ONDULAÇÃO DE VELOCIDADE (VELOCITY RIPPLE)

Nos sistemas de controle de movimento, qualquer desvio entre a velocidade comandada e a velocidade real em um momento dado e conhecido como ondulação de velocidade. Fatores que contribuem para a ondulação da velocidade incluem a resolução do encoder e o Erro Subdivisional (SDE).

ENCODER INCREMENTAL ABERTO VIONiC™

VIONiC é a série de encoders incrementais digitais tudo-em-um de exatidão ultra-alta, com várias opções de escalas lineares e rotativas. O VIONiC combina a comprovada óptica de filtração da Renishaw com a avançada interpolação no cabeçote de leitura, proporcionando Erro Subdivisional (SDE) típico de <±15 nm e resoluções de até 2,5 nm.

Projetado com o modo de autocalibração intuitiva, os cabeçotes VIONiC são fáceis de instalar. Está disponível uma Ferramenta de Diagnóstico Avançado opcional ADTi-100 para feedback dos dados do apalpador durante a instalação ou para diagnóstico de campo.

VPP

Tensão de pico a pico Um método de medição do tamanho da onda, através da medição da distância entre a máxima amplitude positiva e máxima amplitude negativa. A saída analógica de muitos encoders incrementais é definida como sendo 1 Vpp.

Outro padrão é medir a tensão média a pico, que é utilizada para descrever o SDE, por exemplo. Em formas de onda simétricas (tal como seno e cosseno) a tensão média a pico é metade do valor pico a pico.

ROTAÇÃO (YAW)

Rotação ao redor do eixo vertical

ZEROMET™

Uma forma de INVAR (liga de níquel-ferro de baixo coeficiente de dilatação) especialmente selecionada por sua estabilidade particularmente elevada. A Renishaw fornece escalas com baixo coeficiente de dilatação feitas com ZeroMet.